terça-feira, 12 de julho de 2005

O lado sombrio

Sim... se calhar todos temos um lado sombrio. Eu tenho.
Por menos simpático que seja, até prefiro falar dele do que calar. Porque não me agrada que façam uma ideia demasiado simpática de mim, simplesmente, porque eu não sou só isso. E também porque esse outro lado, me está a ensombrar neste momento. Ontem e hoje.

É verdade que tive uma infância de conto de fadas. É verdade que tive imensa sorte com os avós, de um modo geral. Imensa!!!
É verdade que os adoro. Que, apesar de me custar muito, resolvi ser eu a amparar a cabeça do meu avô J. quando ele morreu. Tinha de ser eu - ele gostava mais de mim do que de tudo na vida!
É verdade que a família, para mim, é sagrada. Que tenho uma relação afectiva, talvez difícil de entender para a maioria das pessoas, com avós que viveram há séculos, que lhes conheço os gostos, e me enterneço com as histórias sobre as suas vidas.

Mas há uma excepção.
Há uma pessoa que não é assim. Nunca foi assim durante toda a sua vida.
Foi sempre egoista ao extremo, semeou a discordia entre as pessoas mais próximas para tirar partido disso, para manobrar as pessoas.
Uma pessoa fria que nunca conseguiu olhar com respeito para os que viveram antes e carinho para os que nasceram depois. Que sempre pensou só em si. Uma pessoa que está na origem da maioria das minhas más memórias.
Agora, não me importa que faça anos.Justify Full
Não me importa que precise de mim. Porque até nem precisa. Tem assegurado tudo o que precisa: tem um lugar confortável para viver e quem trate dela. Claro que quero que esteja bem, que tenho pena quando não está. Mas quero manter a distancia. Visito-a, mas não me peçam que o faça todas as semanas.
A ideia de ter de passar o dia de ontem e de hoje na companhia dessa pessoa deixou-me com os nervos à flor da pele. Perturbou-me o trabalho e o descanso! Alterou-me o comportamento! Tirou-me a paz!
Não suporto que venha agora fazer-me festas no cabelo, que me agarre as mãos, que me chame e toda a hora. Não suporto!

E sinto-me mal comigo, porque, no fundo, no fundo, custa-me que seja assim!
Custa-me que não tenha sido diferente! E podia ter sido...
Sinto que, se calhar, até sou má. Se calhar eu também sou má!
Tomara que o tempo passe depressa, que daqui a pouco isto já tenha passado, e que me pareça que foi apenas um sonho mau!

13 comentários:

Vilma disse...

Já diz a canção: o nosso lado lunar, um lado que mais ninguém conhece...a não ser Deus! Ele sabe tudo!
A verdade é que foi por esse lado sombrio e não só, que Ele nos redimiu, por meio do Seu filho.
Não te consideres má por não gostares dessa pessoa. São marcas profundas que talvez te tenha deixado, não te culpes por isso. Agora, para o teu bem, perdoa-a. Para que isso não te persiga pra sempre... e esquece-a! Se não perdoares, esse pessoa perseguir-te-á até ao fim da tua vida!

Margarida Atheling disse...

Eu perdoei. Por mim!
Mas não esqueço. Porque não consigo.
Mas não me assombra. Só agora, porque me vi obrigada a privar demasiadao perto e por demasiado tempo com ela.
Até lhe desejo bem. Sinceramente! Acho que acaba por ser também vítima dela própria.

Amanhã... já tudo deve estar no lugar!

Oumun disse...

Por uma razão bem diferente este fim de semana acabei por dizer o mesmo que tu " afinal não sou assim tão boa pessoa" , apeteceu-me sinceramente educar a quem não me competia..... Ninguem é perfeito...
O perdoar e o esquecer penso não serem sinónimos. Há aquelas pessoas que gostamos e que até têm aqui o lugar delas , mas lá longe, longe... porque com tempo as tornamos pessoas diferentes , enfatizamos as qualidades mas quando aparecem lá vem tudo ao de cima....

Uma beijoca grande

PS- e de tanto que leio aqui não te acho nada má pessoa se já foste no passado não transparece nada, pelos menos para aqui :)

Paula disse...

Infelizmente isso acontece muito... por serem família, não quer dizer que sejam boas pessoas...
Ah, é verdade: e eu adoro-te a ti e ontem fiquei muito contente!!!! :o)))
Mil beijinhos,
Paula Sofia

nelsonmateus disse...

nã é k m considero 1 pessoa particularmente má, mas se isto é o teu lado sombrio, então eu sou o dark vader ao pé d ti.

nadiasm disse...

Minha querida prima, até o teu lado sombrio tem luz.
Sobretudo, não cedas a chantagem emocional.
Bjs

Costinhas disse...

Nem sei bem o que dizer a este texto. Primeiro, toda a luz é acompanhada de sombra.

Segundo, não podemos amar de um dia para o outro quem nunca nos soube mostrar esse amor.

Terceiro, não temos de amar ninguém por termos uma relação de sangue. O sangue pode ser muito forte... mas não é tudo.

Um beijinho
Sandra

OlhoVivo disse...

Não te culpes tanto porque essa pessoa pode ser naturalmente fria, com dificuldade em expôr-se emocionalmente.Se nunca quis dialogar contigo enquanto eras criança, a opção foi dela e agora é natural que pague o preço de tal escolha.
Beijos e força :)*************

mamy disse...

Ouço muitas vezes do meu marido: "Eles podem ser tudo, mas são meus pais."
Eu não vejo as coisas da mesma maneira e secalhar, não tenho o dom de perdoar, mas tenho a certeza que não tenho a capacidade de esquecer. Infelizmente para mim, e para ti, que como eu, não esqueces.

Beijinhos Mamy

t&v disse...

não és nada má. é só o outro lado da lua. todos o temos, mas nem todos o reconhecemos :)
beijinhos

Cláudia disse...

Tinha saudades de te deixar aqui um beijinho mimado. Aproveito agora, porque acho que a ocasião o merece.

Sara MM disse...

Pode parecer tanga.... mas acredita! sei MUUUITO bem o que sentes! O que isso é... uma pessoa que vive só para tratar de si, espezinhar quem pode, e ainda cobrar com chantagem emocional... Mas se somos "boazinhas" com todos também podemos ser com essas pessoas?!?! Podemos, mas se calhar nem vale a pena... e por isso ultimamente só me resta fazer como tu...
BJs gds!

nuvem cor de rosa disse...

Querida, infelizmente tbm tenho na família uma pessoa, supostamente bastante chegada a mim, que me trata de forma indiferente. Ou melhor, não trata sequer... E está neste momento a viver os seus últimos anos de vida. Mas mesmo assim, continua a não olhar para mim nem pr as minhas irmãs com o carinho que uma pessoa como ela, supostamente bastante chegada, deveria olhar. Eu até podia "forçar" e tentar fazer-me acarinhada por ela. Mas não faço nada porque simplesmente desisti há muitos anos... Bjnhos doces (ps: I'm back!)