quinta-feira, 5 de maio de 2005

Danças

Esta semana, por vários motivos, tem sido um bocadinho atípica.
Bem ou mal, o resultado é que tenho tido mais tempo do que nas últimas semanas. Tenho tido tempo para respirar!
Acabei por aceitar o convite - mais desafio - de uma amiga para fazer uma coisa que não fazia há, realmente, muito tempo: ir a uma discoteca.
E lá fomos, três amigas, de há alguns anos. Sózinhas.

Fiquei um bocadinho admirada que, a meio da semana, houvesse tanta gente numa discoteca. Está bem que é uma discoteca da moda mas, mesmo assim!

Nunca fui de fazer noitadas - nunca, excepto em ocasiões pontuais e num Verão muito particular - mas sempre gostei de dançar. É normal, não é?
Pois, é normal, mas não é inconsequente.

De facto apetecia-me dançar. Dancei horas seguidas. Há um ponto em que se dança qualquer coisa!
Parei algumas - poucas - vezes. Uma vez, estava realmente com sede. Já era tarde. Um rapazinho chega ao pé de mim educadamente. Pergunta-me aos gritos que, mesmo assim, me custavam a perceber, se eu não tinha um irmão.
Eu achei normal. Respondi que sim.
Perguntou-me depois, já mais próximo do meu ouvido, se eu não morava em Alvalade. Pensei que ele estava a fazer confusão com alguém. E disse-lhe isso mesmo. Disse que, por acaso ia a Alvalade com frequência porque tenho uma amiga - uma destas duas - que mora lá, mas que eu não morava.
Só quando ele me disse quase ao ouvido: Mexes-te muito bem, sabias?, é que a pateta percebeu o que se passava!

Voltei esbaforida para o pé das minhas amigas. Entre o furioso e o incrédula!
Não, eu não danço em cima de colunas. E não, juro que não faço nada de especial!
Elas riram-se! A C. disse que já tinha reparado nele, que já há algum tempo que ele me seguia. Que estava mesmo a ver que ia acontecer uma coisa destas. Mas a tolinha não tinha dado por nada!

Depois, muito depois, mais a frio, reconheço que há qualquer coisa de sensual na dança. Qualquer dança. Da balada mais suave à batida mais frenética.
Não é mera libertação de energia; para isso existem as sessões de aeróbica, ou qualquer outro desporto.

Não é realmente isso. O que se sente é diferente. Os movimentos, quer queiramos quer não, têm qualquer coisa de sedutores. Sem intenção, mas têm.
Aquilo que se sente quando se dança é um prazer muito mais próximo do sensual do que do meramente físico ou do estético. Os balanços, a batida, o ritmo, o calor, até a sensação do cabelo a bater nas costas, na cara, no pescoço, ou a soltar-se com os movimentos. As luzes, o som tão alto que não permite ouvir mais nada, tudo se conjuga para um mesmo efeito.

Mas - caramba! - a dança não é um ritual de acasalamento!
Bem... lá haverá algumas que até são, mas não era disso que estava a falar.
Não me sinto muito confortável com esta constatação! Se calhar era mais sensato cada um dançar sózinho, no seu quarto, e sem testemunhas. Mas paciência!
Sinto algum embaraço, mas não vou deixar de dançar por isso. Vou é passar a reagir de uma forma diferente quando alguém me perguntar: Desculpa, mas não tens um irmão?

21 comentários:

Filipa disse...

Olá linda!

Acredita que estou farta de rir. Desculpa! Lembras-me uma situação que presenciei há muitos uns (uns 12 pelo menos), numa discoteca no Algarve.
Aproxima-se um galanteador, daqueles com caderneta profissional e pergunta: Não te conheço de algum lado?
Resposta da interrogada: Não estou a ver...
Ao que o galanteador volta à carga:
És daqui de Olhão?
Resposta da interrogada que entretanto se tocou:
Não, sou do Boavista!

'Thought & Humor' disse...

You have a riveting web log and undoubtedly
must have atypical & quiescent potential for
your intended readership. May I suggest that
you do everything in your power to honor
your Designer/Architect as well as your audience.
Please remember to never restrict anyone's
opportunities for ascertaining uninterrupted
existence for their quintessence.

There is a time for everything, a season for every
activity under heaven. A time to be born and a time
to die. A time to plant and a time to harvest. A time
to kill and a time to heal. A time to tear down and
a time to rebuild. A time to cry and a time to laugh.
A time to grieve and a time to dance. A time to
scatter stones and a time to gather stones. A time
to embrace and a time to turn away. A time to
search and a time to lose. A time to keep and
a time to throw away. A time to tear and a time
to mend. A time to be quiet and a time to speak
up. A time to love and a time to hate. A time for
war and a time for peace.

Best wishes for continued ascendancy,
Howdy
Editor

'Thought & Humor'
Cyber-Humor & Cyber-Thought
http://ilovehowdy.blogspot.com/
Harvard Humor Club
http://groups.yahoo.com/group/Harvard_Humor_Club/

Xuinha Foguetão disse...

:)
EHEHEHEHEHEHEH!
Quem anda à chuva molha-se!
:)
Dançar é bom e faz bem!
Não deixes de dançar!
Prepara-te é para reagires! :)
Beijocas,
Xuinha

Ted Nojent disse...

Guidinha,
Discoteca sem rapazinhos não tem gosto, mesmo com o entusiasmo da batida a bater nas costas do cabelo à cara do irmão do meio.....
Agora a sério, não fixes só o aspecto menos elevado da situação, imagina o embaraço do rapazinho para comunicar aquelas frases ou o que poderias aprender se o ouvisses.
Experimenta na próxima.

Kwan disse...

Move baby, move!

cate disse...

Mal vi o titulo os meus olhitos arregalam-se...
é que fico assim sempre que me falam em DANÇA, qq tipo de DANÇA!
E gostei muito da tua descrição...
Mas já não vou uma discoteca há imenso tempo... talvez pelo fumo, pela barulheira... mas ás vezes sabe tão bem!
Beijinhos grandes linda
cate

Luna disse...

Olá!!
Bem estou boa aberta, estes rapazinhos não podem ver uma moça a divertir e voltam a carga!!!
beijocas
Luna

Sofia disse...

Que saudades de ir DANÇAR...
Que saudades de sair a NOITE...
:)
bjs
Sofia

nadiasm disse...

Há mesmo muito tempo que não saías...nem te lembravas destas conversinhas de treta...
Bjs da prima

ana disse...

Pelo menos é uma situação cómica!!!!
E desculpa, mas não tens nenhum irmão????
EHEHEHEHEH
Jinhos

Vilma disse...

:)))) Tou a imaginar a cena....

Sara MM disse...

Por isso é que ADORO dançar mas não vou aos sítios onde se dança!
Qd nos entusiasmamos os gaijos ficam :oD fazem ;o) e nós, que não fomos para isso, ficamos :o(

Sara MM disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
mel disse...

Olá Margarida!
Obrigada por este relato!
Devo dizer que me ri à farta com este episódio de iman-de-idiotas... Deixa lá, que acontece a qualquer um!
Eu costumo dizer que a mim também só me saem "duques e senas tristes"...
Bom fim-de-semana... que tal outro pezinho de dança?
Beijocas

Lucia disse...

Apesar de não ter muito jeito também gosto muito de dançar e concordo quando dizes que a dança pode por vezes ser sedutora, mas isso dos rapazinhos é normal e essa forma de abordagem já é muito antiga, mas fazer o que eles são assim e não vão mudar nunca...
Beijinhos e bom fim de semana

carlag disse...

Fartei-me de rir, com este teu post.
Olha, deixa p´ra lá.
E dança, dança, dança até caíres para o lado.
Eu adoro dançar!!!

Rita disse...

Eu adoro dançar!!! E se a dança não é um ritual de acasalamento, olha que está muito próximo. Pelo menos eu sempre a senti assim. (gargalhadas) E para falar a verdade, se fosse comigo teria adorado o recadinho desse atrevidote! Sabe tão bem Margarida!!!
Beijocas e diverte-te muito!!!

(ps. a entrevista com a psicóloga correu bem. Foram testes. e temos mais testes dia 13)

gracinha, a artista do burlesco disse...

Beeeeemmm!!!! Margarida, isso no Brasil chama-se uma 'cantada'. Podes (e deves) ficar orgulhosa! O fulano acabou por te fazer um cumprimento! ihihihihihihihih
Beijos mais que muitos
Gracinha
Ps - Se calhar estavas na ráve, lá no blog... ai ai ai ;-)

... disse...

Adorei ler esta história!! Está demais! Tb concordo com as observações sobre a dança... tem algo de sensual sim, mesmo quando dançamos sozinhos. Mas na "Disco" já se sabe... e com uns copitos então a rapaziada fica "mais atrevida". Mas gostou de ti, e tentou a sorte dele...Alvalade hein?! :) Bjs grandes

EP disse...

Querida Margarida,
Continua a dançar, não te inibas!
Ele até foi bem educado e fez bem ao teu ego.
É sinal que danças bem e tens uma boa figura.
Um beijinho,
EP

Someone Here disse...

Ai Margarida... Percebo o incómodo, mas deu-me vontade de rir este episódio!!! Há pessoas bem inconvenientes... Mas não deixes de dançar por causa disso. Beijcocas.