domingo, 22 de maio de 2005


Doem-me os músculos das pernas e dos braços. Estou cansada. Amanhã estarei ainda mais dorida. Mas estou muito orgulhosa desta menina! :) Posted by Hello

8 comentários:

OlhoVivo disse...

De certeza que a menina também sabe que tu a adoras :D************

carlag disse...

Linda!
Um animal, que gosto. Muito.

t&v disse...

já te tinha dito que acho que és uma sortuda???

... disse...

É a tua égua? Tão linda! Claro que a força bruta não é necessária...não sei se viste algum dia um Doc. sobre um homem que domesticava cavalos selvagens baseando-se simplesmente no conhecimento profundo que tinha da sua vida em grupo em estado natural. Montei alguns anos na GNR no esquadrão de Braço de Prata e lá havia uma frase no picadeiro "cavaleiro que se excede perde o direito de ser obedecido"

Beijinhos grandes
Mocas

Vilma disse...

Linda!!! Que animal lindo! Eu gosto muito de cavalos, apesar de nunca ter tido nenhum, mas simpatizo muito com eles! Espero que estejas feliz!

daqui disse...

olá margarida! acho imensa piada ler-te porque te estou sempre a ver encarnar a minha personagem literária favorita, a Margarida de "Mau Tempo no Canal" :) Além disso, tenho um fascínio pela "vida do campo", ligada à natureza (vivo em Inglaterra e o seu countryside é certamente uma das minhas grandes razões). Escrevo hoje especificamente porque a tua égua é linda e porque eu própria vou regressar à equitação, que deixei antes do Natal, ainda esta semana, I hope!

Oumun disse...

Muito bonita a menina ;)
Quanto a essas artes de cavalgar já não fazem parte dos meus dotes ;) na minha terra na havia muito disso . Mas quero que o Guizo aprenda até porque é uma promessa ;)

beijocas

Margarida Atheling disse...

Daqui: Obrigada pela visita simpática!

Por acaso li o Mau Tempo no Canal porque uma pessoa, que é suposto ter-me conhecido bem, quase me obrigou porque disse que ao ler ficou arrepiado com as semelhenças.

Não vou negar que existem algumas: a ligação aos cavalos e ao mar, a teia da família, a vontade de sair para um sítio que se apresenta como o local de origem e, ao mesmo tempo, de liberdade. A teimosia e, em simultâneo, a cedência depois a pessoas e a algumas coisas. A solidão acompanhada. A busca interminante. Alguma pieguice e excesso de idealismo. Alguma fatalidade... O nome herdado de uma avó já desaparecida, de quem se herdou também semelhanças físicas, de personalidade, de destino e até alguma influência.

Mas se o nome não fosse o mesmo talvez ninguém reparasse nas semelhanças.
E depois os tempos são outros. O local também.
E ela era muito mais exuberante do que eu. E imagino-a também mais bonita.

Só me angústiou aquele casamento dela com o André Barreto. Porque me pareceu uma rendição. Ela rendeu-se! Apesar de ele ser fantástico.
Espero não fazer o mesmo! Se tropeçar com um André Barreto, e se acabar por casar com ele, então que o ame. Porque ainda não me deicidi a aceitar menos!

Mudando de asunto: Parabéns pelo bom gosto! O campo em Inglaterra tem bem qualidade do que por aqui. Está muito menos estragado!
E bom regresso à equitação! Quando se começa... é difícil largar!

Bjs!