quarta-feira, 23 de fevereiro de 2005

Conquistas

Na vida algumas coisas foram-me tiradas sem aviso: o meu avô, o meu filho, o meu relacionamento com o pai dele.
Outras, foram-me dadas também sem serem esperadas; cairam-me no colo. Dei por elas, mas nunca soube que essas coisas não costumam sair do nada. Estou a falar de intimidade e cumplicidade. Do que eu tinha com o A.; do que fazia com que, mesmo que muita coisa corresse mal, eu não passasse sem ele; daquele sentimento de sermos completamente compreendidas, de nos sentirmos aconhegadas, de sentirmos que sabemos o que se passa dentro de alguém só por olharmos para os seus olhos...

Aprendi agora - nos últimos dias - que essas coisas, que me são tão caras, são, normalmente, fruto de uma conquista.
Conquistam-se, contróiem-se, exigem esforço e dedicação, investimento e paciência. E depois vão crescendo, um bocadinho de cada vez e vão-se tornando mais fortes.
Descobri que é necessário semear para colher. Descobri mesmo mais; descobri que é preciso cuidar muito bem dessa plantinha; que é preciso esforço.
Descobri sem dramas; descobri a meio de uma conversa com o V., reparei que falávamos de uma forma diferente um para o outro, que havia mais calma, mais conhecimento, mais cumplicidade, até mais carinho. Percebi que estas coisas tinham sido contruidas! Percebi que é um processo inacabado!
Descobri tarde uma coisa tão evidente, mas acho que não foi tarde demais.

13 comentários:

nadiasm disse...

É óbvio que não foi tarde de mais!
Bjs,
Nádia

Elodie disse...

A cumplicidade é das coisas mais importantes num relacionamento, duas pessoas que se amam , mas não conseguem ter uma conserva, têem um longo caminho a percorrer.
Depois chega aquela altura em que não é preciso dizer nada, basta um olhar, um gesto e somos capazes de adivinhar o que o outro pensa e sente..é das melhores sensações que se pode ter,uma prova que se conquistou qualquer coisa, que há avanços na relação :)
beijinhos nina :*

Sara MM disse...

Sabes... o gd amor da minha vida surgiu sem eu saber, pois já namorávamos e nem sabíamos!!
Mas qd passou algum tempo (e já sabíamos...) os conflitos surgiram e houve momentos horríveis. Mas foram sempre passageiros e, melhor ainda, momentos ÚTEIS! Pois fizeram-me mudar muita coisa em mim.
E hoje, quando estou com este amor da minha vida, sou outra, calma, serena, compreensiva, optimista; e com tudo isto, claro, mais feliz!
Espero que vocês também sigam sempre pelos melhores caminhos, ou que as ídas à berma sejam para regressar a um estrada ainda melhor!!
BJS
PS-vi a tua mens. obrigada. E do vinho que achaste? No 1º ano saíu vinagre.. mas agora tem boa côr!?!

Vilma disse...

Nunca é tarde para amar! Onde é que eu já li isto? A sério, nunca é tarde para aprender, para crescer, para mudar, enfim... começar de novo!

Ana Rangel disse...

Não vai ser tarde, Margarida... e tudo aquilo que semeares, vais colher em dobro. Todo o carinho e amor que tens partilhado... :)

Beijinhos, muitos, aqui deste lado!

Someone Here disse...

Eu acho que tu sabias que essas coisas tinham que ser construídas e conquistadas... Se calhar não estavas era com coragem de recomeçar de novo!! É a minha opinão linda pode estar errada... Brevemente (não sei qt tempo é brevemente) eu saberei melhor daquilo que estou a falar! Um beijinho grande... E não, não é tarde demais.

Isabel Sofia disse...

Por mais clhicê que esta frase pareça, para mim é das mais verdadeiras: nunca é tarde demais... sobretudo para construir a felicidade
beijos amigos
Sofia

Ana disse...

Nunca é tarde para construir... o facto que reparaste que a confiança e cumplicidade precisam de ser construídas é porque estás preparada para enfrentar mais esta tarefa! Força, não tenhas receio, pois por detrás de uma tempestade está sempre um arco-irís... jokas

gracinha, a artista do burlesco disse...

E ainda bem!!!!
Muitas, muitas felicidades, minha querida!!!!
Beijos,
Gracinha

trixny disse...

Ola,
Como tudo na vida o amor tb se constroi. Cada dia contem uma nova aprendizagem, mais uma coisa que se descobre, que se sente. E e' bom! Sentimo-nos mais vivos porque temos uma coisa a crescer dentro de nos...aproveita! Quem sabe se isto nao e' o teu "rebirth".....
E se e' tarde? Nunca!

Beijinhos e se feliz!

Cláudia disse...

Querida, o tempo somos nós que o fazemos - o cedo, o tarde, somos nós que o definimos. Sem preconceitos. Sem receios. E muito confiantes de que estamos no caminho certo.
Lembrei-me de um livro que está a ser um sucesso nos EUA, escrito por um homem que ajuda as mulheres a amar, a não ter medo do amor, mas também a perceber até que ponto vale investir (acha que há muitas mulheres que se iludem e não deveriam fazê-lo porque acabam por sofrer). Chama-se «he's just not in to you». Não quer dizer que seja o teu caso. Pelo que descreves, não será certamente. Mas lembrei-me de deixar a dica.

E, mais uma vez, acredita, luta, investe, com o coração cheio e sem medo. Chegou a tua hora de teres sorte, de seres feliz e de fazer alguém feliz.
Beijinhos mimados.

bekas disse...

Também eu aprendi que a cumplicidade, o respeito, a confiança e muito mais se conquistam dia a dia! Parece evidente, mas olha que para mim também não foi.
Beijinho grande

dinorah disse...

Minha linda, as nossas vidas constroem-se através das coisas inesperadas e da maneira como reagimos a elas. O esforço, a dedicação, a paciência são os ingredientes essencias, mas no fim terás uma bela fatia de um saboroso,quente e lambusento bolo de chocolate! heam!
Força!
beijinhos