quarta-feira, 24 de dezembro de 2008

Natal

Há um ano escrevi isto. E era a mais pura das verdades.
Este ano não há nada disso. Nada.
Não é de farinha e açucar que é feito o meu Natal. Não faço filhoses, nem mexidos nem, tão-pouco, haverá shortbread na mesa.
O pedaço de madeira que sobrou do lume da lareira da noite de Natal do ano passado não se irá juntar ao lume nesta noite de Natal.
O meu Natal, que era feito de farinha e açucar, este ano não o será.

Este ano, pela primeira vez em toda a minha vida, não passarei a noite de Natal com os meus pais e avós. Não os verei, sequer.
O Natal, dito festa da família, obriga a separações, afinal. A separações que ocorrem pela primeira vez e que custam a gerir.
Este ano, mais do que em qualquer outro, gostava de estar com eles. Com eles e com o meu irmão. E não estarei.

Não comprei um único presente.
Nunca gostei do excessivo consumismo associada à quadra. Hoje, mais do que nunca, isso desagrada-me.
Espero ter a capacidade para fazer entender à minha filha que o Natal não é isso, o Natal não são coisas, não é confusão. O Natal é tão outra coisa.
A ela, que é tão pequenina ainda que não entende, darei o pequeno crusifixo que recebi da minha Tia Maria, quando eu era pequenina. Não consegui pensar noutro presente para lhe dar que tivesse mais significado. Um dia ela há-de entendê-lo, por completo.

O Natal é a festa do nascimento de Cristo. E tão poucas pessoas o vivem como tal.
Muitas há que o comemoram mais como um Carnaval. E isso aflige-me.
Podia dizer-se que isso não é assunto meu, que cada um o vive como quiser

Há melancolia no Natal. Não a melancolia doce que aconchega. Há melancolia triste também, e esta é assim.
E, no entanto, há luz e esperança. E há o que comemorar.

Mas este Natal, tenho a minha filha. E no meio de toda a confusão da quadra, é isso que é importante. Ela existe e está comigo.
Esta noite, na passagem para o dia de Natal, hei-de tâ-la nos braços.
Ela é o melhor dos presentes que alguma vez poderia ter recebido, ela é o meu Natal e, apesar de tudo, ela, como todos os bebés, é o sinal de que o Natal, afinal faz sentido. Todo o sentido.

Feliz Natal!

6 comentários:

Vilma disse...

MAragarida, depois de ter ficado arrepiada com o teu texto, só sinto o desejo sincero de assim sim, desejar-voa um Santo e Feliz Natal!
Só assim faz sentido ! :))
Um grande, grande abraço.

Paula disse...

Um Natal muito feliz, desta vez com um "menino Jesus" a sério.
Bjs muito, muito grandes,
Paula Sofia

Piquinota disse...

O NATAL é mesmo isso: família, união e amor!!!!

Um FELIZ NATAL para vocês!:D

Jinhos

Mary disse...

Lindo!!!

Espero que apesar da ausência de pessoas que tanto amas, que tenhas tido um Natal calmo com tua nova familia...

Um beijo querida e bom Ano novo

Alecrim disse...

Margarida... feliz Natal com o teu presente anjo-menina!

ariana luna disse...

Um ano muito feliz para vós.